Uma empresa do grupo
L2TX Holding
Área restrita

FUNCIONAMENTO

Definição, Componentes & Funcionamento

O que significa RFID?

RFID – Significa Radio Frequency IDentification ou em inglês, Identificação por Rádio Freqüência, e é uma tecnologia onde objetos são identificados através de ondas eletromagnéticas propagadas pelo ar.


Frequências
Existem 3 frequências comuns utilizadas em RFID:

LF - Low Frequency (125 ~ 134 Khz)
HF - High Frequency (13.56 Mhz)
UHF - Ultra High Frequency (865 ~ 954 Mhz)

Transponder
Transponder vem de Transmitter/Responder, e trata-se de um chip que contém memória, microcontrolador e outros dispositivos, e que está soldado a uma antena que capta das ondas eletromagnéticas do ar, tanto a energia quanto os dados emitidos pelo leitor, e que responde às sua solicitações, transmitindo de volta também através de ondas eletromagnéticas.

Existem alguns tipos de transponders, mas principalmente ativo, passivo e semi-passivo.

O transponder passivo não possui bateria, por isso capta a energia da antena do leitor e usa essa mesma energia para fazer o processamento e refletir o sinal de resposta, com potência menor.

O transponder ativo pode operar a distâncias mais longas, pois transmite um sinal de resposta mais forte, por possuir uma bateria. Além disso, pode incorporar mais memória e outros recursos tecnológicos.

Já o transponder semi-passivo possui bateria apenas para o chip e eventuais sensores, permitindo a reflexão mas rápida da resposta ao leitor.

Inlay
O Inlay é o nome comercial dado ao transponder passivo que é pequeno, flexível e é utilizado tanto para confecção de etiqueta inteligente (Smart label) como o cartão sem contato (Smart Card).

Componentes do sistema:

Constituem-se os componentes básicos de um sistema de RFID: a etiqueta inteligente, a impressora RFID, a antena de leitura, o leitor e o Sistema.

Etiqueta Inteligente:
Existem várias formas de se encapsular o inlay. A principal é conhecida como Etiqueta Inteligente (ou Smart Label).

O encapsulamento do inlay exige processos muito especiais de produção, levando em conta todos os cuidados para não danificá-lo. Na verdade, esses cuidados possuem muitas similaridades ao processo de fabricação de equipamentos eletrônicos, como os telefones celulares.

Assim como existe uma grande diversidade de inlays (de acordo com a memória requerida, padrão de freqüência, distância de leitura, segurança etc.), também há peculiaridades na confecção da etiqueta inteligente.

A Torres produz etiquetas inteligentes utilizando o tipo de inlay adequado à sua aplicação, em qualquer tamanho, substrato (papel ou filme especial) e com a formulação de adesivo adequada para cada objeto a ser identificado, dependendo de sua superfície ou do ambiente.

Entre outros pequenos detalhes que fazem toda a diferença na solução, levamos em consideração o modelo de impressora RFID que é utilizada na impressão e gravação da etiqueta inteligente, pois o inlay deve estar numa posição em que o encoder da impressora possa gravar com eficiência máxima.

Impressora RFID:
Impressora de etiquetas de termo-transferência integrada a um leitor/gravador RFID. Esse tipo de impressora normalmente verifica se a funcionalidade do inlay (taxa de leituras/segundo) obedece a parâmetros mínimos. Caso o inlay esteja abaixo do padrão, ele é descartado, imprimindo-se a informação "void" (recusado) em sua fronte.

Antena de Leitura:
Construídas em metal, as antenas de leitura constituem-se parte vital no processo de leitura / gravação da etiqueta inteligente. É ela que gera as ondas eletromagnéticas que irão servir de meio de energização e comunicação com as etiquetas inteligentes. Dependendo da aplicação, a antena deverá ser manufaturada sob medida.

Leitor:
O Leitor é o dispositivo responsável por diversas funções no sistema de leitura, entre elas, comunicação com o sistema / banco de dados, processamento das instruções, modulação/demodulação dos sinais recebidos das antenas, CRC, controle de múltiplas antenas, entre muitos outras.

Existem leitores capazes de trabalhar em rede (com endereçamento IP, a exemplo dos dispositivos de rede comuns), o que permite aplicações como: busca de um determinado objeto dentro da rede, inventário automático de produtos etc.

Também existem leitores integrados a coletores de dados ou PDAs, para leitura de etiquetas em campo. Esses coletores de dados podem comunicar-se com uma base através de tecnologia wireless 802.11 ou até mesmo GSM/GPRS.

Sistema:
Pode ser de um simples software para controle de acesso de funcionários, até um sofisticado sistema de gestão crítica da empresa.

Funcionamento
A etiqueta inteligente, assim que entra na área de cobertura da antena, é energizada por ela e então passa a comunica-se com o leitor, que transmite os dados para o sistema, que então determina os próximos processos.

Tudo ocorre em frações de segundos, sendo possível a leitura de mais de 1000 etiquetas por segundo.

(Copyright - Todos os direitos do texto acima reservados à Torres Ind. Com. Etiq. Ades. Ltda. É expressamente proibida a divulgação de todo ou parte do texto sem prévia autorização da Torres Ind. Com. Etiq. Ades. Ltda.)

 

VÍDEOS

Institutional Video - Torres Etiquetas ISO-9001

Clique aqui e conheça o canal da Torres Etiquetas no vimeo.

RFID

Nós da Torres Etiquetas acreditamos no potencial da tecnologia de identificação por rádio frequência (RFID) para, ao lado da própria tecnologia do código de barras e das outras tecnologias existentes, solucionar essas e muitas outras questões.

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail e receba periodicamente nossa Newsletter

CONTATO

11 3346.6900
torres@torres.ind.br

Escritório: Rua Odorico Mendes, 325 - Mooca
CEP 03106-030 - São Paulo - SP
© Copyright 2012. TORRES - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Craft Sys